Thursday, September 07, 2006

" LIVRO ABERTO "














É noite...
O poeta olhando para mim sorriu-se, só que desta vez, nada tinha que ver com a noite.
Era talvez o desejo duma frustração antiga...
DISTÂNCIA, TEMPO, que aos poucos se impunha, avolumando cada vez mais a sua intenção obstinada.














" Distância e tempo
São a mesma coisa? "

- Não!...

" Como provas isso? "

- Do modo mais simples:
SEM TEMPO NÃO HÁ DISTÂNCIA
E SEM DISTÂNCIA NÃO HÁ TEMPO.











De súbito, o poeta captou o desejo e constatou que desejar é ir ao fundo da esperança e da presença.


" Desejar?
O que é desejar? "

- Já to disse.

" Creio que não. "

- Ah! Pois...
Já percebo...
DESEJAR
É tentar o que em princípio
Parece situar-se
No quase inabitável














NA CASA DE DEUS...


" Tens sempre resposta a dar! "

- Isto nunca mais pára,
O LIVRO JAMAIS SE FECHA!...
Por isso
NÃO HÁ OUTRO CAMINHO:













Terás de ir ao fundo

Dessa tua esperança
Para saberes que o futuro
É tempo que nos sobra!...



















" Tempo presente? "


- Projectado!...

Pouco depois, afastei-me desinteressado, e enquanto assim o fazia, cada vez se tornava mais próxima a semelhança que o poeta tem comigo.
Era de facto, qualquer coisa sobressaindo daquela noite...




















Qualquer coisa a deixar-me recordar a idéia que neste preciso momento tenho da minha própria figura.


Uma música:
" Love reborn " - FLORA PURIM

Pain-Killer

6 comments:

naturalissima said...

Como sempre, diálogos fascinantes e complexos. Terei de o lêr mais vezes... Não é fácil quando se questiona Espaço/Tempo.
Sinto-te num caminho mais fácil de seguir.

Beijo, lindo peixinho

≈♥ Nadir ♥≈ said...

A distância não é relevante para o tempo, esse (o tempo) estará sempre presente...

Um tempo passado que faz parte do presente e condiciona o futuro...
Um tempo, no compasso lento das horas...

Um tempo que mais do que as palavras, torna-se presente, mesmo na distância, no som mudo da mente...

A voz do tempo, torna o distante ausente, numa presença permanente...

Gosto de te ler e pronto!
Beijos e bom fim de semana

Vida said...

Já li por duas vezes e vou ter de ler mais algumas, tal como os outros que já fui lendo, o Tempo para mim é um estigma, porque é sempre pouco, a Distância depende, temos de saber geri-la para percorrê-la em tempo.

Adorei, beijinhos.

o lápis said...

Faz do tempo o veículo para atravessar o deserto da distância...

Um beijo.proximo.

:)

Van

naturalissima said...

Miguel
Peço desculpas por ter excluído o comentário.

Este é referente ao que deixaste no meu blog!
Deves dar tempo ao tempo, porque sem dúvida que encontrarás essa saída!
A distância, de certeza, que já foi maior.
Muito em breve serás um homem feliz.

Palavra de amiga

Vanda Baltazar said...

eu ouvi dizer que eras um peixinho :))

portanto primo das karpas com quem em miudo te distraías :)) elas devem ter-te contado o segredo :))


beijos de bom fds

Vanda