Monday, May 08, 2006

" PAUL CÉZANNE "
( 1839-1906 )




















Tenho-o entre os meus pintores favoritos do século XIX.
Numa constelação que é também habitada por, Renoir e Franz Marc, Paul Gauguin e Van Gogh ou mesmo Amadeo Modigliani ... são estes, personagens raras de um mundo secreto que pertence , no meu museu pessoal, á raiz do VÊR.
Gosta-se dele como se gosta de certos livros ou de certas peças musicais, de certos filmes e de outros raros encontros desta ordem.
Ou como se gosta de " certas pessoas ", porque por detrás de cada uma, como de cada obra destes artistas, existe algo que nunca se revela na totalidade, que resiste, que permanece intocável e fechado dentro de si, gerando entre aqueles que partilham esse afecto, uma espécie de comunidade secreta, intimamente ligada pelas estrictas razões dessa afeição sem propósito nem utilidade. Comunidades destas nunca entram em guerra, nem se entregam á predacção, nem entabulam relacções diplomáticas, porque se organizam por razões primitivas, arcaicas, e não conhecem outras razões além daquelas que descobrem no próprio acto da sua partilha. Suspeito de que o mundo, felizmente está cheio delas. As suas naturezas-mortas, como esta, tão simples como fruta verdadeira sobre uma mesa verdadeira, vistas quase sempre como uma fotografia colorida, têm uma qualidade de subtileza, e de silêncio que será comprovativa de que a pintura (também) é para escutar.Ouve-se nela, um silêncio tão intenso que só é comparável na medida da sua experiência, á daquele que suspende a música, num intervalo súbito de uma execução perfeita. Obscuras, Silenciosas,Graves, Metafísicas...
E no entanto,

LEVES,

AGÉIS,

DELICADAS,

E BREVES,
Como uma canção que passa...




















Resistem ao tempo,

Precisamente porque parecem,

Dele e de suas leis, estar suspensas...
Nunca modernas, mas nunca também mais arcaicas do q
ue o pão ou do que a mesa, quase rugosas, bruscas, que lembram o toque forte do linho ou da estopa, são ao mesmo tempo nítidas, no recorte preciso de quem as olha no sentimento de uma espécie de doce e infinita melancolia.
E embora tristes como um um amor não correspondido, irradiam uma força de contenção e de espera, tal o olhar de um animal acossado num obscuro recanto de qualquer floresta. Tenho para mim, que tais pinturas guardam através dos tempos e espaços, e muitas vezes até a rebelia de todos os jogos instituintes das histórias de arte, algo que caminha contra a história, que não se compadece dela, mesmo se com ela coabita, permanecendo na sua redoma, na sua esfera própria, sem nunca se deixarem contaminar por nada. Sendo obscuras e secretas, têm todavia uma influência estranha sobre o mundo, porque agem, a partir dessa condição, como forças poderosas, onde de vez em quando outros vão beber, porque são como fontes miraculosas de invenção e de preservação dos mitos mais essenciais.















Espectrais, coloridas e de um silêncio inquietante, as obras de Paul Cézanne pertencem, ao domínio em que se esconde ou se guarda o próprio mito da pintura, a carne da pintura,
a raíz de uma visão que raras vezes é concedida a quem pinta e a quem vê. Mas que no entanto alimentam a pintura de uma espécie de serenidade, e de uma garantia de retorno, mesmo quando sobre ela pairam já as mais graves ameaças de extinção.Mas são também luminosas e quentes, alegres e robustas como uma manhã de Sol.
Que mistério é o seu, que tanto nos chega a comover?




















Ouvi-o então, que não vou repeti-lo :

















-E O MISTÉRIO CEGO DA PINTURA!

Pain-Killer

2 comments:

Medusa Azul said...

não é um dos meus pintores favoritos... mas é um dos Grandes, sem dúvida!!! :) já o franz marc ou o chagall, por exemplo, deixam todas as minhas serpentes enfeitiçadas... ;)

copa-rota said...

Compreendo Medusa...A arte provoca paixões,e tal como no amor reflecte-se nas formas mais variadas.Porém Cézanne é indubitavelmente um dos gigantes do impressionismo...

Gostei de saber que Chagall(um dos meus eleitos)provoca esse efeito nas tuas cobrinhas.

( Tens bom gosto, Medusa...fiquei petrificado! )

Obrigado plo comment,Medusa...

Fica bem ;-)