Wednesday, March 14, 2007

" CONVENCIONAL...MENTE "




















- Vês, poeta!...
Lá está o imprevisto...

" Imprevisto!?...
O que é para ti, o imprevisto? "















- É sempre aquilo

Que parece vir sem associação,
Ou como dirão os outros:



















POR ACASO...

" Pouco importa! "

- Falas assim, porque praticamente
Só vês poesia...











Ou porque o inesperado,

NÃO É AINDA
O esclarecimento do facto
No objecto da emoção inesperada.

" Qual emoção? "














( Foto de: Daniela Rocha )


- Não faças caso...

Tudo se precipita!...

" Que faço aqui? "

- E eu, que faço
Com esta foto
Que aperto na mão?...














" Como veio?... "


- E PORQUÊ?...

" Não sei... "

- É isso!...
Cada coisa, cai redonda
EM SUA MULTIPLICIDADE!













" Cada coisa? "


- Sim...
Cada coisa!...

" Então,
Cada coisa contém em si
Um infinito de significação? "



















- Coisa?...

É relativo, dizer-se
COISA...
Mas é evidente:
Sua irrealidade
Absoluta por natureza,
AINDA QUE SEJA LARANJA...















( Foto de: Daniela Rocha )

NÃO É DECIFRÁVEL...

" Não!? "

- Não!
Dela, extraímos
Um pouco de cada coisa,
Duma Coisa só...














Mais exactamente:

Por mera convenção,
Coisa em si
É PARTICULARMENTE NOSSA.



















" Estou convencido... "

- Claro que estás, poeta!



















CONVENCIONAL...MENTE.

( Um album: " SOL DO MEIO DIA " -

- Egberto Gismonti )

Bom-fim-semana!

Pain-Killer

9 comments:

naturalissima said...

Existe aqui uma sequência que não é por acaso, vinda do anterior post.
O que será na verdade, o Imprevisto? Aquilo que não se está à espera? Mas não é por acaso que eles surgem!

Não foi por acaso que tal foto foi parar às tuas mãos! EMOÇÕES soltas! Mensagens que teriam de ir ao teu encontro através do teu pai... sinais, memórias que se soltam para te ajudar a viver mais feliz.

A "coisa" é mesmo um infinito de significação. Cada um de nós é um mundo de sensações, de memórias, vivências, feitios, sensibilidades, por isso, é que sabemos da "coisa" individualmente!

Miguelamormeu
Não foi por acaso o nosso encontro.
E que FELIZ encontro!

Um beijo apaixonado do pexinho para outro peixinho
Danielasótua

naturalissima said...

Chorei com amor, à medida que ia lendo e desvendando mensagens encobertas neste belo ensaio "Convenciol...mente"

Amo-te com paixão, tal como és, Miguel.
E sabes? "Eles" paisnossos, sabem já do nosso amor. ;-)

Beijo-te carinhosamente
Danielasótua

naturalissima said...

No silêncio da noite oiço o teu respirar, sinto o teu olhar, arrepio-me com o teu calor que procura meu corpo...
Na escuridão do nosso quarto sonhamos entre gemidos de paixão... e somos um só.

Até já amormeu
danielasótua

Frederico said...
This comment has been removed by the author.
copa-rota said...

NAKURANDZA YINTAMO, DANIELA!

Aqui vou eu, meuamordesempre.

Até, já...beijo-te com paixão...


Miguelsóteu

naturalissima said...

NAKURANDZA YINTAMO, Migueleeee!!!
Até já
danielaamorsóteu

≈♥ Nadir ♥≈ said...

Passei para te ler e deixo um beijo com votos de boa semana.

Talk Talk said...

Grande Copa:

Tudo bem contigo?
Olha, deixo-te um grande abraço

naturalissima said...

Miguel, meu amor, aguardo ansiosamente pelo teu próximo post! Esta noite vou editar uma das fotografias que tiramos juntos em Paris.
Quero viajar pelo mundo fora contigo, sempre junto de mim.

até já
um peixinho dos nossos com muito amor
danielasótuasempre