Thursday, October 22, 2009


A ETERNIDADE CÁ DENTRO







A existência normal de um homem atravessa períodos correspondentes a determinadas idades compreendidas como fases da razão. Essas e outras, corresponder-se-ão entre si. E ao longo desta espécie de história com diferentes episódios e épocas, haverá um momento em que uma simples hora terá o mesmo valor de um século ou mais. Cada homem, não só representa a humanidade pelo seu querer, pela sua necessidade e angústia e tudo o resto na fase de ascensão. Ele representa ainda, em sua época, o próprio Homem. Isto é, para cá do mais, uma forma inequívoca de eternidade dentro de si.

- Como é espantoso
Sentir a eternidade cá dentro,

E simultâneamente

Saber que não sou eterno!...
 

















"Como explicas isso?"

- É um pouco

Como um lugar de passa
gem...


















" Nisto
que me contas,
Algo se
define...
Sei agora, com mais convicção:
Há razões,

Advertindo constantemente

O meu passado...
Ultrapassando como uma vertigem

Todo o meu procedimento. "

 














Enquanto isso, a mosca, indiferente ao entusiasmo do poeta, passeou vagamente debaixo do silêncio.


(Um álbum: «La Scala» - Keith Jarrett
)

Bom-fim-semana!


Pain-Killer